governo-aposta-novo-bolsa-família

Governo aposta no Novo Bolsa Família

As pesquisas de opinião que vem sendo realizadas pelos institutos nas últimas semanas tem feito com que o Governo Federal comece a se movimentar com mais força no sentido de manter o eleitorado até 2022, que é, portanto, o ano da próxima campanha presidencial.

Nesse sentido, não é à toa que um ato político em defesa do presidente foi marcado no domingo do dia 23 de maio de 2021, contando com a presença do presidente e também do seu ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. As manifestações não deixaram de ser uma estratégia do presidente para panfletar a parte do apoio popular que ainda possui.

Porém, apesar de ter conseguido levar uma expressiva parte da população às ruas, o Governo segue criando estratégias que possam garantir o efeito contrário ao das pesquisas de opinião. Ou seja, mostrando para a população que a sua popularidade ainda é significativa. Nas próximas pesquisas, vai ser possível saber se as manifestações ocorridas provocaram alguma influência na opinião popular.

Porém, independente das estatísticas, a equipe do presidente Jair Bolsonaro (atualmente sem partido político) reconhece a importância de investir em medidas que possam garantir a manutenção do eleitorado. E ao que tudo indica, a principal aposta do Governo vai ser, de fato, o lançamento do novo Programa Bolsa Família.

Diante do fim dos pagamentos das parcelas do Auxílio Emergencial 2021, o que vai acontecer já no próximo mês, o Governo não parece muito interessado em trabalhar com a possibilidade de continuar amparando a estes beneficiários. O caminho, ao que tudo indica, vai ser focar nos beneficiários do Bolsa Família, tanto aqueles que já estão cadastrados no sistema quanto aqueles que ainda podem vir a fazer parte do programa social.

Novo Bolsa Família é a aposta do Governo Federal para 2022

Assim como já aconteceu em governos anteriores, o Programa Bolsa Família parece ser o principal panfleto de uma campanha presidencial. Noutros tempos, o Bolsa Família já foi, inclusive, o carro chefe das campanhas do Partido dos Trabalhadores (PT). E de forma surpreendente, o mesmo pode acontecer com o governo Bolsonaro.

A ideia é exatamente essa. Garantir uma nova identidade para o Bolsa Família. Uma identidade que seja então capaz de atrair o apoio dos beneficiários do programa para o presidente, tal como já aconteceu com os candidatos que foram eleitos nas campanhas anteriores. E é por isso que não é exagero definir o novo Bolsa Família como uma das principais apostas do Governo Federal para 2022.

Ao mesmo tempo, não deixa de ser notável que, depois de tantas críticas direcionadas para o Bolsa Família ao longo da sua extensa carreira política, o presidente Bolsonaro tenha encontrado justamente neste programa as suas chances de reeleição.

Crítico ferrenho dos programas sociais que foram criados nos governos anteriores, o presidente Bolsonaro nunca fez questão de esconder a sua insatisfação para com o Bolsa Família, por exemplo.

Em uma disputa pela presidência da Câmara dos Deputados no mês de fevereiro de 2011, o presidente Bolsonaro chegou a mencionar que programas como o Bolsa Família levariam o país para uma espécie de “ditadura do proletariado”. E foi exatamente nesta época que o presidente começou a propor o fim do programa ou, ao menos, uma reformulação do mesmo.

Portanto, como se pode ver anteriormente, o desejo de Bolsonaro em mudar o Bolsa Família não é recente e tem um histórico que surgiu desde a década passada, ou até antes. Por isso, não é surpresa alguma ver o seu movimento de provocar mudanças dentro do programa social. A surpresa vem quando se identifica que esta é uma das suas principais estratégias para o ano que vem. Ou seja, justamente o programa que o presidente tanto criticou em outras oportunidades pode ser o que vai levá-lo a reconquistar o apoio popular perdido anteriormente.

Quando o Governo vai lançar o novo Bolsa Família?

Embora seja um projeto que vem sendo montado desde o início do mandato, o novo Bolsa Família ainda não tem data certa para ser lançado. E isso acontece por que a criação do Auxílio Emergencial no ano de 2020 fez o Governo direcionar os seus esforços e movimentos para este programa, bem como ajustar o cronograma. Mas esse não é o único motivo.

As dificuldades orçamentárias também atrasaram o lançamento do novo programa Bolsa Família. Ou seja, encontrar espaços no orçamento público da União não tem sido uma tarefa fácil. Mas é essa a missão que a equipe econômica do ministro Paulo Guedes (Economia) possui para o segundo semestre do ano.