color-blocking

Color block: conheça essa tendência

Não é incomum que a moda revisite tendências anteriores: aquilo que fez muito sucesso há décadas pode, depois de muito tempo esquecido, voltar a fazer parte do nosso cotidiano e invadir não apenas as vitrines, mas a vida como um todo.

Um bom exemplo disso são as roupas com contraste de cores, as quais compõem a tendência chamada color blocking ou color block. Como o nome sugere, trata-se de uma tendência em que cores sólidas, de tons opostos e intensos, se encontram no mesmo visual. 

Os mais apegados às combinações tradicionais ou ao visual monocromático podem, de início, estranhar um pouco esse estilo, que de fato é marcante. 

Isso não significa, porém, que a tendência deva ser simplesmente ignorada: com a escolha certa das peças, é possível criar composições elegantes, com aquele ar moderno que faz a diferença. 

A seguir, falaremos um pouco mais sobre o color blocking, sua aplicação em coisas além da moda e, por fim, sobre como montar visuais que acompanhem a tendência. Confira!

História do color blocking

A tendência surgiu em meados dos anos 1980, quando os góticos e os clubbers conviviam de forma relativamente harmônica e chamavam atenção por seus visuais radicalmente opostos, mas incrivelmente interessantes.

Os mais jovens — e menos focados no look “all black” — gostavam da ideia de misturar cores fortes de uma vez. A união de peças em tons atípicos criava, além de grande choque visual, uma certa associação com a rebeldia: assim, quem tinha um armário “visualmente impactante” tinha esse ar de descolado, revolucionário.

Apesar de não ser uma tendência nova, o color blocking só ganhou nome em meados de 2010, quando foi “ressuscitado” por grifes de grande porte e passou a figurar em passarelas mundo afora. O retorno deu tão certo que, em pouco tempo, o ato de juntar cores fortes ou discrepantes também invadiu a decoração.

Grandes especialistas em decoração de interiores afirmam que o color blocking não precisa ser usado apenas em ambientes informais, mas também em locais formais onde é preciso dar um ar de renovação. 

Todos estão acostumados a ver salas quase assépticas, em branco e cinza; por que não criar algo impactante para apresentar aos clientes?

Color blocking na prática

O famoso círculo cromático, utilizado tanto pelos visagistas quanto pelos maquiadores, pode dar uma pista de como fazer combinações de cores que funcionam.

No círculo, você tem tons frios e quentes, além de cores primárias e complementares. 

A dica é: combine cores complementares, como o laranja e o azul, o amarelo e o roxo, o vermelho e o verde. Você pode escolher tons diferentes de cada uma delas, para criar visuais que, além de terem cores opostas, têm mais tons da mesma cor.

Na prática, significa que você pode colocar, por exemplo, um vestido verde-escuro, um casaco verde-claro, um sapato vermelho mais fechado e finalizar a produção com uma bolsa em tom vermelho vivo. São quatro tons de duas cores complementares.

Outra possibilidade é combinar as cores primárias com as complementares: no caso, pense em vermelho e rosa, que é uma das combinações mais populares, e no azul e roxo.

Sugestões de composição

Se você está em dúvida, vá sempre pelo mais seguro: vestido, blazer e sapato. Uma sugestão de color blocking? Vestido amarelo, em tom mais fechado, com um casaco azul mais claro. Se você não se sentir segura para isso ainda, tende um azul mais escuro primeiro.

O sapato, nesse ínterim, pode ser amarelo bem fechado, amarelo ovo ou em algum tom de azul. As mais ousadas poderiam, para fechar o visual com chave de ouro, colocar um sapato em azul neon.

Para ir ao trabalho, você pode aplicar o color blocking com certa cautela: um sapato cor-de-rosa, uma calça pantacourt ou de alfaiataria escura e uma blusa azul-clara podem funcionar.

Caso o dress code permita, você pode deixar as cores dissonantes mais próximas. Vale apostar em peças de materiais mais nobres, como seda, para elevar o nível da produção, e usar as bolsas cotidianas como elementos de cor também.

Gostou tanto do estilo que quer ir além? Componha não duas, mas três cores. Nesse caso, você pode escolher dois tons quentes e um frio ou dois tons frios e um quente.

%d blogueiros gostam disto: